domingo, 3 de janeiro de 2010

PEGANDO CHUVA NO SUDESTE

  Dia 23 de dezembro de 2009, malas prontas para uma viagem de final de ano, na mala mais que roupas e equipamentos de escalada, junto aos croquis de vários pontos de Minas Gerais e Itatiaia no Rio a vontade escalar em lugares diferentes. Porém, no dia 27 quando saímos rumo a estes lugares a chuva nos surpreendeu ainda quando subíamos a Serra da Mantiqueira. Em Itajubá mudamos a rota seguindo até o São Bento do Sapucaí desta maneira garantiríamos alguma escalada, Pedralva foi deixada pra trás ainda nesta noite. Ainda assi m, comemorei muito, São Bento era um sonho. Além das  vias clássicas, as esportivas.

  Ficamos alojados no refúgio do Eliseu Frechou, aliás, muito bacana o lugar. No dia seguinte a chuva ainda caía, a massa de ar estava estacionada. Com chuva seguimos até a Pedra da Divisa, vias esportivas muito bonitas. Primeiro dia, não demorou muito pra ficar com os braços doloridos, duas vias foram suficientes pra cansar a moçada. Além do que estávamos molhados, frio de mais. Na volta da Pedra da Divisa, framboesas. Caramba, que delícia. Chuva, escalada, framboesa e esperança de tempo bom.

Pedro escalando a Rock and Roll.

No outro dia, chuva, mais chuva, chuva sem fim, o jeito foi nos contentar com slack line e treino no muro do refúgio. Aliás, teve gente que cabulou o treino, né Pedro?
  Os dias seguintes não foram diferentes e já que só Aline gosta de jogar truco, seguimos até a Falésia dos Olhos, neste local é possível escalar com chuva por conta de um teto.
  Sobre este local posso afirmar, é uma falésia pra encher os olhos, gnaisse em negativo, rocha perfeita. Neste dia a sensação era de escalar debaixo de uma cascata, foi o dia que mais choveu me fazendo lembrar de novembro de 2008 quando as chuvas caíram intensamente em Santa Catarina. Tristes lembranças.

  Falésia dos Olhos, Minas Gerais.

 Aline escalando na Falésia dos Olhos.

Eu, escalando na Falésia dos Olhos.
Por conta desta chuvarada abortamos a ida até Itatiaia, fiquei muito triste, estava contando os dias para conhecer as Agulhas Negras, o animo da moçada baixou. Nos meus olhos era fácil perceber a frustração. Adeus agulhas negras. Chuva e mais chuva, muita água, um oceano caindo do céu.
No último dia do ano apareceu um solzinho o que nos incentivou a escalada na Ana Chata e na Pedra do Baú. Mas, Murphy se fez presente em todos os momentos da viagem, na base da Ana Chata percebemos que não havia uma só agarra seca, impossível escalar.
  Na trilha de volta, a insistente chuva, não seria possível nem fazer a via Normal. Um sorvete pra refrescar os ânimos e filmes no alojamento. Na noite da virada, um jantar delicioso com a família e os amigos de Eliseu Frechou e a esperança de ver os fogos do cume do bauzinnho. Se vocês pensam que Murphy sossegou, pois bem, chegou o momento de sua maior atuação.
  5, 4, 3, 2, 1, e????? Barranco!!!!!!! Passamos os primeiros minutos do ano com o carro quase atolado em um barranco, um ano novo cheio de roubadas? Quase todos os carros rodopiaram na estrada. Muito trabalho pra sair da lama. Adrenei mais que em via de escalada. De escalada a rally.
  Primeiro dia do ano, chuva, na volta pra casa ficamos presos na rodovia por conta do alagamento de um Rio. Na rodovia tristes notícias de enchentes e deslizamentos.Uma tragédia anunciada pelas fortes chuvas dos dias anteriores.
Foi assim que encerramos nossa trip.

Algumas fotos da viagem, lugar bonito é pra ser fotografado até com chuva!

Baú

Antiga Estação de trem em Cachoeira Paulista.


Uma cachoeira? Não! Chuva mesmo.

Pedra da Divisa e Framboesas.

Chuva!


Eu e a Parceira mais Zen do mundo na falésia dos olhos.

Baú.

2 comentários:

  1. Mas que m..., hein! Essa época do ano é triste para escalar.

    ResponderExcluir
  2. Chuva e mais chuva...não vou pra montanha tem quase dois meses por conta disso, que saco!
    Feliz 2010 cheio de sucesso e vias de escalada!

    ResponderExcluir