quinta-feira, 8 de julho de 2010

A menina e sua influência na escalada

   A menina, tradução de La Niña é o fenômeno oceânico atmosférico oposto do El Ninõ. Portanto, responsável pela diminuição de até 3 graus da temperatura das águas do Oceano Pacífico, Oriental, Central e Equatorial o que responde também pela extensão das áreas de água mais fria por uma faixa de 10 graus de Latitude ao longo do Equador até 180 graus de Latitude do Pacífico Central, influenciando diretamente na dinâmica da atmosfera do planeta.

   Deste modo, há o aumento do risco de furacões no Golfo do México e períodos de seca no Brasil, Argentina e Índia, afetando diretamente várias culturas como, milho, café e cana de açúcar. Em outras partes do Globo, como na Costa Leste da Ásia acontece o contrário, há intensificação das chuvas o que é ruim para determinadas práticas agrícolas.

   Vale lembrar que no Brasil, um país de dimensões continentais, a influência do fenômeno não é linear, o que acarretará em secas no Sul, Centro Oeste e Sudeste e maior risco de áreas instáveis no Nordeste, Leste e Norte da Amazônia. O mapa seguinte mostra os efeitos da La Ninã no planeta Terra.




   Por outro lado, as atuais condições do tempo são favoráveis para a realização de atividades ao ar livre, em outras palavras os escaladores da faixa Sul, Sudeste e Centro Oeste do Brasil podem comemorar, dias de sol, céu azul e temperaturas amenas, tempo ideal para a prática do esporte. Portanto, escaladores agradeçam a ''menina'', não esqueçam o filtro solar.  Literalmente, bons ventos aos escaladores desta faixa.
Céu azul no Sul...


Sites de referência

http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/conteudo.phtml?tl=1&id=1022940&tit=La-Nia-deve-se-formar-em-julho-previsao-e-de-seca-no-Brasil

Um comentário: