segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Feriado



   Às vezes ponho-me a olhar para uma pedra.
     Não me ponho a pensar se ela sente.
     Não me perco a chamar-lhe minha irmã.
     Mas gosto dela por ela ser uma pedra,
     Gosto dela porque ela não sente nada.
     Gosto dela porque ela não tem parentesco nenhum comigo.
Outras vezes ouço passar o vento,
     E acho que só para ouvir passar o vento vale a pena ter nascido.
Alberto Caeiro







 Jo Casta -
Entendendo na prática o nome da via
E no outro dia...
 só vias ligth... I´m love 4°
 ;) - a folga do meu seg, testando o autoblocante...
escalar, fotografar, fazer o tempo passar...
 
 Fungos
 sol tímido
Bromélia

2 comentários:

  1. Eliza que lindo!!!
    Alberto Caeiro...profundo.
    Gosto de seu Blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir