sexta-feira, 11 de março de 2011

Dias cinzas de carnaval


Dias cinzas

Como já era previsto... Choveu. Eu, Gio e Jaque tínhamos planos de fazer o PP de ataque e de escalar aderências no Anhangava. Desde que eu cheguei da Bahia não paro de falar no Anhangava, eu amo aquele morro, o pôr do sol lá é muito especial pra mim.
A fazenda da Gio fica próxima ao Pico Paraná, de lá faríamos o ataque. Na sexta à noite após comer um Subway gigante nos mandamos pra fazenda, na estrada, a chuva.  Ainda assim, acreditamos que o tempo iria melhorar, (risos).  Às 06:00 h de sábado as três mosqueteiras estavam quase de pé, ainda havia dúvidas sobre o tempo, de um lado sol, de outro, um spray gelado chegando das montanhas.
Teimosas, insistimos, tomamos café, arrumamos o lanche, as mochilas e nos mandamos pra fazenda do Dílson. A luz estava bonita deu até pra acreditar em sol. Logo o Dílson desanimou a meninada, disse que não iríamos ver nada, que o passeio deveria ser encarado apenas como treino para as pernas.
Encontramos na subida com dois meninos que nos acompanharam, eles dormiriam no A2. Jaque é mais tagarela subiu conversando com os meninos. Eu sou anti- social mesmo, e isso ta piorando o que não é bom. Disparai com Giovana na frente do grupo, fui parar só no Getúlio. E lá a coisa não estava boa, um vento filha da mãe que nos obrigou a segurar nas rochas. Não é conto de montanhista, ops, de escaladora, foi preciso segurar, o vento estava me levando. Minha mãe sempre diz que eu preciso engordar um pouquinho, ela tem razão!
As coisas pioraram, lembrei que havia jogado a jaqueta impermeável com a Jaque, e ela estava subindo ainda. Comecei a tremer de frio e assim fiquei por quase 40 minutos, até eles nos alcançarem. Quando nos alcançaram soubemos que a coisa estava mais preta ainda. Jaque havia passado mal e quase desmaiado, pressão baixa. Já fiz parte deste filme várias vezes, agora, carrego comigo um saquinho de sal, ou coca-cola.
De lá, decidimos subir até o Caratuva, antes um Caratuva que nada. Ainda havia esperança de avistarmos ao menos o Pico Paraná. Porém, quando chegamos no Caratuva não dava pra ver as antenas, entramos na nuvem, lanchamos, tiramos algumas fotos (da nuvem). A chuva ficou forte, os meninos que iriam até o PP também abortaram a missão. Descemos, deixamos os guris na BR para pegarem carona pra Ctba de volta. Chegamos na fazenda da Gio a tempo de comer uma sopinha de milho deliciosa. Era preciso esquentar.
No outros dias, mais chuva, muitos filmes com destaque para, Como Domar seu Dragão, adorei. Teve passeio a cavalo, pra quem não tem medo é claro. É pra quem já está molhado não custa experimentar a represa, passeamos de Jet Ski. Assim foi nosso feriado, divertidíssimo.

Gio e Jaque
nos fez ter esperança
Companheiras de escalada e caminhadas
Frente fria a vista.
Orquídeas
Jaque. Além de escaladora e montanhista se revelou uma ótima Amazona.
Coitada da égua...se jogou no pasto após Jaque quase tirar seu couro.
Eu prefiro brincar com as cordas.
Gio, Eliza e Cons - Quem tá na chuva é pra se molhar.

Com as fotos tiradas das meninas no Pico Paraná eu iria fazer uma pequena exposição no blog no dia das mulheres, mas faltou o Pico Paraná, faltaram as fotos, e acima de tudo, o respeito pelas mulheres. Fato que eu senti na pele, um dia após se comemorar o dia internacional das mulheres.

 Enfim, mulheres, uni-vos, por um mundo menos machista e com mais respeito, algo mais importante que cumes ou cadenas no bolso.
porque liberdade e respeito é preciso



Um comentário:

  1. Para todas nós mulheres,escaladoras,montanhistas,caminhantes,namoradas,mães,esposas ou simplesmente mulheres sozinhas e independentes...a linda liberdade de ser o que sonhamos ou a realidade de ser o que se é.
    Parabéns meninas!

    ResponderExcluir